quinta-feira, 17 de fevereiro de 2022

Violência Obstétrica

Li, outro dia, a entrevista sobre o que disse o advogado da influenciadora que sofreu VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA pelo médico das famosas e: SEMPRE O NORTE É ESQUECIDO, nós temos o primeiro (arrisco até a dizer único) COMITÊ ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA;
JÁ FIZEMOS AUDIÊNCIAS PÚBLICAS ANUAIS SOBRE O TEMA DESDE 2015, INCLUSIVE JÁ TEVE PARTICIPAÇÃO DE RAQUEL MARQUES, MELÂNIA AMORIM, MAÍRA TAKEMOTO e demais órgãos públicos;
conseguimos que fosse assinado o TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA EM 2016 CUJO OBJETIVO É QUE CADA ÓRGÃO DO COMITÊ TRABALHE COM O INTUITO DE DIMINUIR OS CASOS DE VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA NO ESTADO DO AMAZONAS;
EM 2018 FORMAMOS EM VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA A PRIMEIRA TURMA DE JUÍZES NO AMAZONAS;
ganhamos em 2020 o prêmio da Associação Nacional dos Procuradores da República na modalidade responsabilidade social;
Temos a Ação Civil Pública no Juízo da 3 Vara Federal Seção do Amazonas, movida pelos MPE e MPF, onde o Estado do Amazonas foi condenado pelas violências obstétricas sofridas por mulheres grávidas, puérperas e em situação de abortamento nas maternidades do AM;


Em tempo: TEMOS A LEI 4.848 de 5 de junho de 2019: que dispõe sobre a implantação de medidas contra a violência obstétrica nas redes pública e particular de saúde do Amazonas;


E a LEI 2.658 de 19 de agosto de 2020: que institui o Dia Municipal de Enfrentamento à Violências Obstétrica no calendário de Manaus, a ser lembrado (e não comemorado pois ainda não temos nada a comemorar) no dia 08 de outubro

quarta-feira, 28 de abril de 2021

"mulher maravilha"

hoje. agora a tarde. só nós, as mulheres da casa, em casa.

eu: Maria Carolina, vamos fazer tarefa.

MC: ah, eu faço com o papai, quando ele chegar.

avó: anda Maria, vai logo fazer tarefa com a tua mãe, porque teu pai já chega cansado do trabalho e ainda vai ter que sentar pra fazer tarefa contigo, não né?


vocês conseguem perceber o quão cruel é ouvir, de sua própria mãe, essa frase?

eu que acordei cedo;

acordei as crias;

tentei arrumá-las (sim, tentei porque hj a Olívia simplesmente não colaborou e a Maria se arrastou);

coloquei água e comida pras gatas;

deixamos (eu e o pai) as meninas na escola;

deixamos o filtro mais uma vez no conserto;

deixei o marido no trabalho;

fiz salada e frango pro almoço;

trabalhei de casa;

limpei caixa de areia das gatas;

fui na secretaria preencher formulário e fazer mais um swab nasal pra covid19;

fui buscar as meninas na escola;

tirei máscaras sujas e coloquei de molho;

tirei toalha da Olivia da bolsa pra colocar no sol;

tirei roupas sujas das bolsas e coloquei no cesto;

fiz nescau pras meninas;

almocei;

guardei a comida que fiz pro almoço;

lavei pratos e panelas;

voltei pra trabalhar;

fiz pipoca pras meninas;

voltei pra trabalhar;

espremi e estendi as máscaras que eu mesma coloquei de molho;

subi com as mochilas já pra arrumar pra amanhã;

arrumei a bolsa pra irmos pra casa da avó;

FIZ TAREFA COM A MAIS VELHA;

dei banho nas crias (e isso inclui teste de paciência pois elas brigam pra não entrar e depois brigam pra não sair);


mas quem tá cansado é o pai que passou o dia no cartório trabalhando...


e eu ainda tive que escutar a avó: ahh, assim sim, arrumadas, de banho tomado e cabelo penteado, pra não dar trabalho pro teu pai que já passou o dia trabalhando.



GENTE, EU NÃO FIZ NADA?



sexta-feira, 23 de outubro de 2020

Controle

Olívia caiu da escada.

Fez um estrago nos dentes superiores da frente, freio e lábios.

Na hora eu senti algo que só outras duas vezes eu já tinha sentido: uma força/ira, que vinha de dentro de mim e que queria proteger a minha cria. Confesso que achei perigoso.


juro que se eu tivesse arma, tinha sacado e apontado na cara


Fora 8 odontopediatras contactados de 9h30 às 11h mais ou menos. E eu descobri que eles dificilmente atendem pela manhã.

Nunca fui uma mãe neurótica, porém depois do ocorrido, estou que não posso pensar na possibilidade das meninas caírem, se machucarem.

Já me culpei por algo fora do meu controle, mãe né ?

Foram praticamente 5 pessoas pra segurar uma criança de 2 anos durante o procedimento na cadeira da dentista. E agora é rezar pra não precisar fazer canal, senão será outro trauma.

Agora a menina chora que quer comer carne, farofa, maçã... porém está na dieta líquida/pastosa e fria. Como fazer ela entender? 
Agora ela se recusa ainda mais a passar o remédio e fazer a limpeza bucal. Como fazer ela entender?

Sem-or, que cansaço.


segunda-feira, 17 de agosto de 2020

Pós Graduação

inventei uma pós em direito médico, hospitalar e saúde.

aí veio a pandemia, a legislação mudou e ela foi suspensa.

hoje, reformulada, estou assistindo a aula inaugural.

oremos! 

quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Reconhecimento

Hoje faz uma semana que a Humaniza foi reconhecida nacionalmente: GANHAMOS o VIII Prêmio República 2020, promovido pela Associação Nacional dos Procuradores da República. Tivemos a honra de ter nosso trabalho avaliado e obtivemos êxito, pelo enfrentamento da violência obstétrica no estado do Amazonas.
Estamos ainda extasiadas de sermos a única ONG da região Norte que recebeu o prêmio e por estarmos tão longe do eixo central do país, somos muitas vezes invisibilizadas. E apesar das recentes e coordenadas tentativas de silenciamento às mulheres e ao trabalho do nosso Coletivo, renovamos nossas esperanças em um mundo sem violência para todas nós.
Agradecemos também imensamente as nossas parceiras de luta Dra Bruna Menezes, Procuradora Federal que acreditou em nosso trabalho, Dras Suelen Paes, Carol Souza e Pollyana Vieira, Defensoras do Estado do Amazonas, que lidam com as denúncias de Violência Obstétrica no judiciário, Dra Claudia Câmara, Promotora Estadual, atuante no enfrentamento da Violência Obstétrica, Luena Xerez, Alessandra Câmpelo e outras tantas pessoas que nos apóiam e dão visibilidade para esta importante causa. A vitória é de todas nós!
Enfatizamos que a Humaniza é um coletivo de mulheres que trabalham juntas e lutam dia a dia para que mulheres e bebês tenham atendimento digno e em conformidade com as normativas legais.
Diminuir violência obstétrica é diminuir morte materna e infantil, óbito fetal e sequelas graves permanentes em mulheres e bebês.

Gostou do post? Nos ajude:
Curtindo
Comentando
Compartilhando
E salvando para ler depois.
#humanizacoletivofeminista
#partohumanizado
#violenciaobstetrica

Prêmio da República

sábado, 1 de agosto de 2020

agosto, mês dedicado ao aleitamento materno

precisamos falar mais sobre aleitamento materno, benefícios e dificuldades.
precisamos parar de romantizar a amamentação, porque é difícil pra caralho amamentar. poucas são as que nunca sofreram.
amamentar dói,
amamentar cansa,
os peitos enchem demais,
vazam,
a gente passa o dia feito um zumbi de tão cansada,
a pega dificilmente é correta de início,
muitas mulheres ficam com o bico dos peitos rachados,
sangrando,
em carne viva;
algumas precisam entrar no antibiótico;
outras precisam de massagem e compressas geladas/mornas;
todo mundo se mete;
o discurso é de que o leite não sustenta.

PRECISAMOS ACREDITAR QUE SOMOS CAPAZES E QUE É POSSÍVEL SIM, MAS QUE É UMA BATALHA ÁRDUA AMAMENTAR.

amamentar é dedicação,
amamentar é ceder,
amamentar é ter rede de apoio.

amamentar é acreditar e persistir.